quarta-feira, 14 de maio de 2014

Apague o ódio

Sabemos que muitas idéias pelas quais pessoas matam ou morrem não passam de construção, como o nacionalismo, por exemplo, a idéia de nação e a própria identidade. O problema das discriminações, a meu ver, não está só nas discriminações puramente, isto é: no racismo, no sexismo, na homofobia, no partidarismo etc, em tudo que denota a não-aceitação do outro, mas sim no ódio que cresce sem proporções num ambiente maniqueísta - dominado pela idéia daqueles que são do ‘bem’ e daqueles que são do ‘mal’, os do ‘meio’ não existem - e que passa a ser usado como munição nas batalhas mais torpes. Velha conhecida é a História de como começou o ódio contra os judeus, também contra muçulmanos, contra pessoas negras e indígenas (nos Estados Unidos e em vários outros lugares), os assassinatos das mulheres consideradas bruxas na época da Inquisição etc, também contra os alemães que nasceram depois da guerra, e que tiveram de arcar com as consequências dos crimes nazistas, com os quais nada tiveram a ver. Então, vendo muito de longe o que tem ocorrido no Brasil ultimamente, principalmente a falta de um ambiente para o debate civilizado (os linchamentos voltaram, barbaridade!), preocupa-me a escalação do ódio, que cega os argumentos. Dois times possíveis passam a existir unicamente: quem é do contra e quem é a favor do que estiver em jogo no momento e todo o resto passa a ser ignorado, porque se alguém publica um texto num jornal denunciando a negação de um direito constitucional, por exemplo, antes de mais nada será aplicado o filtro se é do contra ou a favor e, dependendo de qual grupo pertença o leitor, todo o resto será ignorado, o ódio ganhou. Então, antes que seja tarde e pessoas como eu não tenham mais voz, seja porque foram caladas ou porque escolheram calar-se, peço que apaguem o ódio enquanto é tempo, não deixem esse fogo se espalhar porque o incêndio não se poderá conter. Um minuto que dedico ao pacifismo, que não significa acomodar-se; um pouco mais de reflexão.


© 2014 Helena Frenzel. Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons - Atribuição - Sem Derivações - Sem Derivados 2.5 Brasil (CC BY-NC-ND 2.5 BR). Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito à autora original (Para ter acesso a conteúdo atual aconselha-se, ao invés de reproduzir, usar um link para o texto original). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Caro(a) Leitor(a), comentários serão respondidos no local em que forem deixados. Adoto esta política para melhor gerenciar informações. Grata pela compreensão, muito grata por seu comentário. Um abraço fraterno, inté!