quinta-feira, 5 de julho de 2012

Mania de Corrigir

Tenho esta marca há muito tempo, não o faço por mal. Certa vez, contou mamãe, num lugar paupérrimo à beira de um mangue, estava eu aos dois anos de idade corrigindo as crianças do local: "Não é TA-noooooooa, é CA-noooooooa..." Não com arrogância, pura vontade de ajudar. Se vejo algo fora de um padrão, logo sou compelida a pôr em ordem; pode ser neurose, vício de computar, por aí vai. Gosto também quando me corrigem; com ou sem gentileza, fico grata a quem o faz. Há pessoas, no entanto, que detestam ser corrigidas, evitam navegar no oceano da crítica sadia preferindo o cais e a segurança das inverdades cordiais. Cada qual tem suas razões, não questiono, respeito. Assim sendo, não é de hoje que tento corrigir esse meu defeito: parar de fazer gratuitas correções. Por vezes, todavia, reajo num impulso e quando penso que não era: já fui! É mania, me perdoem, difícil controlar. Como não posso prometer que não terei mais recaídas, ofereço em garantia o esforço de tentar – é mais honesto.





Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Favor informar o nome da autora. Para ter acesso a conteúdo atual aconselha-se, ao invés de reproduzir, usar um link para o texto original). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.

2 comentários:

  1. Quem não gosta de ser corrigido, são pessoas que preferem persistir no erro ao invés de aprender. Uma correção feita com carinho e boa vontade é sempre bem vinda. Há os que corrigem com arrogância, e eu sei, não é o seu caso. Corrigem para humilhar. Estes, jamais aprenderam nada, nem quando foram corrigidos.

    ResponderExcluir
  2. Seria tão mais simples nos acostumar com o fato de que qualquer ser humano é imperfeito e portanto, passível de erro (e possíveis correções). Entretanto o que deveria ser apenas natural, adquire dimensões que podem chegar ao nível insuportável, dependendo do grau de tolerância de cada um. Coisas do ser (e de ser) humano.

    ResponderExcluir

Caro(a) Leitor(a), comentários serão respondidos no local em que forem deixados. Adoto esta política para melhor gerenciar informações. Grata pela compreensão, muito grata por seu comentário. Um abraço fraterno, inté!