quinta-feira, 12 de junho de 2014

A estação e as flores



Passo por uma estação de trens e fico recordando, com um sorriso estampado no rosto, a felicidade encontrada há muitos anos, ao lá chegar e ver que alguém me esperava com flores frescas, colhidas das próprias mãos; um dos mais lindos presentes já ganhos da vida, um dos mais importantes e valiosos, quiça ‘os mais’ até. Era o EU ficando para trás e o futuro começando NÓS, que segue presente firme e guiado por Deus, em quem cremos, e quem nos escolheu um para o outro e determinou nosso encontro naquele dia, estação e fases de nossas vidas, reconhecendo-nos no instante primeiro do olhar. Não acreditávamos em amor à primeira vista, preferimos pensar que nos conheciámos de outras vidas, de outras dimensões (mais romântico, eu sei, mas não menos verdade... quem saberá?). Reconhecemo-nos sim, pelos olhares e pelas flores, majestosas em simplicidade: magníficos girassóis!


© 2014 Helena Frenzel. Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons - Atribuição - Sem Derivações - Sem Derivados 2.5 Brasil (CC BY-NC-ND 2.5 BR). Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito à autora original (Para ter acesso a conteúdo atual aconselha-se, ao invés de reproduzir, usar um link para o texto original). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Caro(a) Leitor(a), comentários serão respondidos no local em que forem deixados. Adoto esta política para melhor gerenciar informações. Grata pela compreensão, muito grata por seu comentário. Um abraço fraterno, inté!