domingo, 29 de dezembro de 2013

Um pouco da poesia que tocou a Bluemaedel em 2013

Dois mil e treze foi um ano surpreendentemente cheio de poesia. Cito alguns dos encontros 'poéticos' que valem a pena relembrar:


A começar pela redescoberta da grande obra de Guimarães Rosa, a envolvente prosa poética de Grande Sertão: Veredas e a de um claro discípulo seu: Mia Couto, em Um rio chamado tempo,uma casa chamada terra.

Ganhei de presente vários livros especiais, de pessoas igualmente especiais, a saber:

Teoria das inspirações para deixar o ar entrar, de Samara Bassi, um livro muito agradável de se ler, recheado de mensagens valiosas, ótima sugestão para presente, inspirador! Disponível nos formatos de livro impresso e ebook no Clube dos Autores.




Versos ao longo do caminho, de Lu Narbot, poemas de várias épocas com os quais tive um diálogo muito feliz. Não sei se ainda está à venda, trata-se de uma publicação especial, um presente da família da autora para ela e para o leitor. Amei!




Sempre Cada Vez Mais Longe & Outros Poemas, de Ana Bailune, outra  leitura interessante, 25 dos 62 poemas do volume ficaram marcados no meu exemplar. Disponível em formato ebook no site da Amazon.




Tive contato mais estreito com a poesia alemã na alegria e simplicidade dos versos de Joachim Ringelnatz. Uma amiga querida teve a feliz idéia de presentear-me com a coletânea abaixo, por causa de um poema que me atrevi a tentar uma tradução: Morgenwonne.




E há pouco, no final do ano, Perdoe-me tanto laquê, livro de poemas de Juliana Gervason editado pela bartlebee. Este livro foi uma agradável surpresa, tanto pelo inesperado lançamento quanto pela enorme gentileza da autora em presentear-me com um exemplar impresso antes que, por ventura, estivesse disponível também em formato ebook num site ou local onde eu pudesse comprar por aqui. Juliana é professora de Literatura e tem um canal sobre livros no Youtube - o batom de Clarice. Este livro é sua primeira publicação ‘íntima e pessoal’, digamos assim: fora de publicações e artigos acadêmicos ou crítico-literários. Um livro para degustar e revisitar sempre, pois além de uma edição caprichadíssima, traz versos  e prosa poética de muito boa qualidade, com os quais muito dialoguei. Amostra grátis de uma viva poesia: aqui.




Através do trabalho de edição de textos, que é uma forma de mergulho nos escritos de um autor ou autora, tive a chance de achegar ao peito poemas de:

Ana Bailune




Celêdian Assis




Cristina Jordano



 Isabela Escher



Lu  Narbot





Marli Savelli.




Também da prosa mansa e embebida em lirismo de Maria Mineira nas lembranças de Mariinha, todos disponíveis gratuita e legalmente no Quintextos em formato ebook.




Pude também achegar-me à poesia de Eveline Sá, agradável surpresa numa rede social:  ambiente tão avesso à poesia e ao recolhimento que ela requer. Eveline Sá é maranhense e conhecida de longa data, mas somente agora seu lado lírico me foi apresentado, um motivo a mais para alegria do meu coração tropical ludovicense. 




E por último, mas não menos importante, cito um feliz encontro com Conto em Contas, de Sigrid Spolzino, e com o lirismo nos contos O Pião, de J.F.Sebastião, Nohaed, de António C., e nos Dois Contos+ de Teresa Cardoso, autores portugueses cuja escrita envolve o leitor. Para Teresa, tive a honra de poder montar um ebook.





Não esquecer da poesia nas prosas de Beto Menezes em O (Fuzi)lamento do Poeta, de onde tiro uma frase especial: “O poeta tem a tola fantasia de se achar imortal. Deve ser para isso que servem os fuzilamentos: mostrar aos outros que os poetas sangram” - Amei este conto! - e Habeas Corpus, entre outros envolventes textos de Letícia Palmeira; um dos mais recentes, Adversa aos Classificados, está na terceira edição do jornal literário O Equador das Coisas.

Não citei tudo o que me encantou poeticamente este ano, mas o objetivo da retrospectiva era tão somente trazer à lembrança belos momentos com textos que dialogaram muito comigo e tornaram 2013 um ano muito mais leve, lírico e prenhe de inspiração.


E por aqui fica a Bluemaedel, desejando a todos uma boa entrada de Ano Novo e tudo de bom!



Links e referências:

O batom de Clarice

Texto de Letícia Palmeira no Equador das Coisas Nr.3


Nota: o meu conto De Rosas e de Flores saiu com um erro logo na primeira frase na edição de O Equador. A versão original do conto pode ser lida aqui.


Referências a Ebooks de outros autores no Quintextos




Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito à autora original (Para ter acesso a conteúdo atual aconselha-se, ao invés de reproduzir, usar um link para o texto original). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.

5 comentários:

  1. Helena querida, ao tomar contato com este texto, uma retrospectiva dos seus prazeres literários, que lhe foram proporcionados em 2013, me trouxeram também uma ótima sensação de prazer, pois pude também desfrutar da maioria das leituras aqui relacionadas, além de tantas outras por outros meios. Acrescento que ter os meus poemas junto a esta relação, tão gentilmente editados por você no formato e-book, foi motivo de muita alegria. Portanto, posso também fechar 2013 com chave de ouro e me sentir especialmente motivada para esperar que 2014 seja todo preenchido por pensamentos e palavras de ouro. E viva o prazer de ler e escrever, como parte indissociável da nossa felicidade. Obrigada pelos bons momentos literários.
    Um abraço carinhoso e que você tenha um ano novo com muitas letripulias.

    ResponderExcluir
  2. Olá, Helena. Acho que foi um ano produtivo e positivo! Apesar dos meus pesares, posso dizer que 2013 foi muito bom. Obrigada por tudo.
    Que 2014 seja ainda melhor!

    ResponderExcluir
  3. Bom dia, Helena! É uma grande alegria para mim saber que as modestas histórias de infância de uma menina da roça estão entre as leituras que você apreciou nesse ano de 2013. Espero continuar a escrever e continuar com os projetos, os quais você tanto me ajudou. Sou eu quem agradece por todo incentivo e carinho que recebi de você. Muito obrigada, amiga e que seu ano novo seja cheiinho de realizações, paz amor e muita saude!

    ResponderExcluir
  4. Helena,

    feliz me sinto em ter feito parte dessa "família" com minhas "letrinhas de macarrão", como diz um grande amigo.

    Poder compartilhar e trocar experiências diante da leitura de tantos escritos valiosos com que você nos proporcionou será sempre um presente imensurável. Que para os anos que estão por vir, que tudo isso se amplie mais e mais.

    beijo na alma,
    Sam.

    ResponderExcluir
  5. Oi, Helena.

    Eu tinha deixado um comentário aqui, mas só agora vi que não salvou, e não lembro mais dele..:( Mas enfim, queria te desejar um feliz 2014, com mais poesia - ainda tenho que mergulhar em Guimarães Rosa e Mia Couto, li bem pouco deles... Mas também queria dizer que Maria, Clara, Lara, Jonas, Sarah e o homem alto e moreno cujo nome ninguém sabe estão todos com saudades de ti...:)

    Abraços e... ah, lembrei uma coisa que escrevi pra ti: manda um pouco do frio pra cá, que aqui está um inferno de quente...:)

    ResponderExcluir

Caro(a) Leitor(a), comentários serão respondidos no local em que forem deixados. Adoto esta política para melhor gerenciar informações. Grata pela compreensão, muito grata por seu comentário. Um abraço fraterno, inté!