domingo, 8 de setembro de 2013

Brincando com tradução




Recebi de uma amiga os versos a seguir:

Morgenwonne

Ich bin so knallvergnügt erwacht.
Ich klatsche meine Hüften.
Das Wasser lockt. Die Seife lacht.
Es dürstet mich nach Lüften. 

Aus meiner tiefsten Seele zieht
Mit Nasenflügelbeben
Ein ungeheurer Appetit
Nach Frühstück und nach Leben.

Joachim Ringelnatz

Segue uma tentativa de tradução:

Delícia Matinal

Estou tão vivamente acordado.
Retumbo dedos em meus quadris.
Água seduz, sabonete sorri,
Sinto sede de ares.

Do fundo de minh’alma tiram
Estremecentes narinas
Um monstruoso apetite
Por vida e café da manhã.

Tradução livre: Helena Frenzel

P.S.: ‚estremecentes’ não encontrei no dicionário, valho-me de licença poética para deixá-la aqui, pois me pareceu a imagem melhor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Caro(a) Leitor(a), comentários serão respondidos no local em que forem deixados. Adoto esta política para melhor gerenciar informações. Grata pela compreensão, muito grata por seu comentário. Um abraço fraterno, inté!