quinta-feira, 29 de agosto de 2013

Meu Trabalho no Campo Literário




Para diminuir mal-entendidos, já que não se pode evitá-los, uma breve explicação:
Quem acompanha meus escritos sabe que criei um perfil no Facebook para divulgar um pouco mais literatura e projetos literários que gerencio, consequentemente: divulgar o meu trabalho nos blogs — chamar de quê, se é trabalho de fato? Embora feito com muito prazer. — Mas não se trata de autopromoção. Eu, Helena, a criatura, amo bastidores e coxias e não estou afim de ter de abrir mão do aconchego da minha privacidade e de um certo grau de anonimato que tanto me faz bem e me é essencial.
Não estou promovendo ‘pessoas’, promovo TEXTOS. Uso critérios literários, não critérios pessoais. Assim sendo, evito saber da vida ou do caráter dos autores com quem trabalho, muitos deles eu nem conheço e é bom que seja assim.
Meus projetos se apóiam em critérios e qualidades textuais. Sou uma estudante de Literatura ainda não atingida pela acidez do meio. Apaixonada pela arte, venho colecionando textos, já que estou montando para uso próprio primeiro, uma biblioteca virtual. Busco, através disto, ganhar experiência e desenferrujar as engrenagens do meu olhar, mantê-lo limpo e sempre aberto ao novo.
Quem acompanha meus rabiscos sabe também que eu adoro contos, causos, narrativas, e esses gêneros tenho tentado promover. Escrevo uns versos de vez em quando mas não os chamaria de poesia, não tenho essa ilusão e nem digo isso para ouvir: “que nada, é poesia sim”, chamo de ‘letripulia’ pois é o que penso que são. Falo com sinceridade porque estudei um pouquinho de lírica e lingüística é uma grande paixão.
Tenho buscado em meus projetos dar espaço a outros autores talentosos cujas obras, em minha simples visão de leitora, deveriam ser mais conhecidas; tudo é voluntário, hobby, faço pelo amor ao trabalho e pela causa, pela vontade de ver as pessoas no Brasil lendo muito, muito mais.
É, sou idealista (ô coitada!) e acho que estou só. Busco promover o EBook gratuito e livre para que haja maior chance dos textos literários e ficção chegarem ao leitor e o que é melhor: ajudá-lo em sua formação.
Não me interesso por vendas, estatísticas, curtidas vazias, não invejo o sucesso de ninguém, muito menos me regozijo com o fracasso dos outros. Creio firmemente que em Literatura o Sol brilha para todos, basta encontrar um lugarzinho para por uma toalha, uma cadeira, e se estirar com espaço suficiente para esticar pernas, braços e pescoço, ampliar o olhar.
Por isso não vejo razão para cotoveladas, concorrência, boicotes ou mesquinharias, uma falta de generosidade enorme que corrói o meio de escritores e espalha um fedor de vaidade mal-vestida que enoja quem simplesmente ama bons livros, literatura, textos inteligentes, as letrinhas, as ‘letronas’, os letreiros, os letristas, o fazer literário e artístico, puro, desinteressado, criativo, enfim: libertador.
Esta é a base dos meus projetos literários: contribuir ao menos um pouquinho para incentivar leitura e escrita com gosto e escritores a ousarem cada vez mais.

5 comentários:

  1. Helena,

    Muitoooo bom esse texto!
    Infelizmente, o que não falta aqui, lá e em qualquer lugar é desentendimento, e até mesmo um querendo "puxar o tapete"do outro, numa guerra sem fundamento, por pura hipocrisia e vaidade.

    Você expressou de forma bem característica e fiel as intenções de seus projetos e daqueles que por ti e por eles se afinizam.

    Que sejamos humildes, não é? e sejamos "livres", afinal, tem lugar pra todos.

    Ah, essa palavra "letripulistas" foi uma das definições mais objetivas e fantásticas que encontrei justamente pra caracterizar esse trabalho sério, mas voluntário. Essa "brincadeira" séria de fazer "brinquedo de palavra" como diz Manoel de Barros.

    Muito muito bom. Diria que foi excelente esse "puxão de orelha" hehe

    Beijo na alma.

    Sam.

    ResponderExcluir
  2. YES!!!! Te admiro, existem poucos como você online. Acho estúpida essa competição, como se alguém fosse ganhar algum prêmio literário por postar na internet... e se ganhar, o que é que tem? Também acho que existe um lugar ao sol para todo mundo! As pessoas são mesquinhas, e adoram difamar os outros. Não podem ver ninguém fazendo alguma coisa útil, que eles querem logo destruir. Continue seu caminho, Helena. Você está certíssima!

    ResponderExcluir
  3. Parabéns pela lucidez do seu texto.

    Alice Gomes

    ResponderExcluir
  4. Muito bem Helena!!! Quem dera houvesse mais pessoas com esse pique... em várias searas!

    ResponderExcluir
  5. Boa noite, Helena! Sábias palavras!Sou admiradora do seu trabalho e me considero sua amiga mesmo aqui de longe. Já me ajudou a fazer tantas coisas boas, já me incentivou a levar adiante meus projetos, mesmo quando quase ninguém acreditava neles. Parabéns pela pessoa que você é!Muito obrigada por tudo!

    ResponderExcluir

Caro(a) Leitor(a), comentários serão respondidos no local em que forem deixados. Adoto esta política para melhor gerenciar informações. Grata pela compreensão, muito grata por seu comentário. Um abraço fraterno, inté!