sábado, 20 de abril de 2013

Desafio ‘Ler-diário’




A leitura me dá vida, e novas idéias para escrever. Mas antes da escrita, vem a leitura, sempre. Que tal agora mesmo pegar um livro qualquer, abrí-lo em uma página ao acaso, lê-la e compartilhar conosco aqui, rapidinho, um pouquinho do que leu?

Eu começo: "y el peor enemigo para la mujer que rompe moldes es la mujer conservadora". Historias de Mujeres, Rosa Montero, página 115 - falando sobre Alma Mahler.

Só vale se for um livro aberto e lido ao acaso, no ato, ok?

(Contribuição de Celêdian Assis):
Fragmento do conto MICRÔMEGAS - HISTÓRIA FILOSÓFICA; em Voltaire - Contos, p. 113, tradução de PROENÇA, D. R..Editora Nova Cultural - SP, 2002. Conversação do habitante de Sírio com o de Saturno: " - Se o amigo não fosse filósofo - respondeu Micrômegas - eu recearia angustiá-lo dizendo que a nossa vida é setecentas vezes mais longa que a sua. Mas também sabe que, quando somos obrigados a devolver o corpo aos elementos e tonificar a natureza sob outra forma (que é o que chamamos morrer), quando chega esse momento de metamorfose, ter vivido muitos anos ou um dia é exatamente a mesma coisa. (..) Mas existe em todos os lugares pessoas de bom senso, que sabem compreender e agradecer ao criador da natureza."

Obrigada, Celêdian Assis, amei a frase "ter vivido muitos anos ou um dia é exatamente a mesma coisa." Aqui vai mais um, de um livro do Mia Couto, que ontem acabei de ler mas ainda estou relendo no subconsciente: "A pobreza é andar rente ao chão, receoso não de pisar, mas de ser pisado". Um rio chamado tempo, uma casa chamada terra, Mia Couto, Companhia das Letras, página 197.

Sabem o que eu mais estou gostando nesta história? É que nesta brincadeira em menos de 15 minutinhos, redescobri pérolas na minha biblioteca, bem à mão, pérolas que eu já não lembrava ter tocado e re-toquei.

(Contribuição de Lucia Narbot):
Um trecho do livro Toda Poesia de Paulo Leminski: "caso alguma coisa me acontecer,/ informem a família,/ foi assim, tinha que ser/ ....

Do livro Auto-engano, de Eduardo Gianetti: "O passado e o futuro só podem ser concebidos a partir do presente; o próximo e o distante só se definem a partir de um ponto determinado; o alheio pressupõe e reflete o familiar."

(Helena Frenzel):
Ótimas contribuições, Lucia Narbot. Ótimas oportunidades para pensar a respeito do destino, do acaso, do tempo em todos os seus 'estados', das medidas e do que se supõe conhecer. Viram o que eu disse?! Viva ler!

(Contribuição de Heitor Herculano Dias):
Muita gente já conhece estes singelos versos de Vinícius de Moraes musicados por Chico Buarque, mas eles me tocam por demais;. Lembram-se desta melodia que tem o título de Valsinha?

"Um dia ele chegou tão diferente do seu jeito de sempre chegar
Olhou-a dum jeito mais quente do que sempre costumava olhar
E não maldisse a vida tanto quanto era seu jeito de sempre falar
E nem deixou-a só num canto, para seu grande espanto convidou-a pra rodar
Então ela se fez bonita como há muito tempo não queria ousar
Com seu vestido decotado cheirando a guardado de tanto esperar
Depois os dois deram-se os braços como há muito tempo não se usava dar
E cheios de ternura e graça foram para a praça e começaram a se abraçar
E ali dançaram tanta dança que a vizinhança toda despertou
E foi tanta felicidade que toda a cidade enfim se iluminou
E foram tantos beijos loucos
Tantos gritos roucos como não se ouvia mais
Que o mundo compreendeu
E o dia amanheceu
Em paz"

(Helena Frenzel): É Heitor, que saudade do tempo em que a nossa música era música e poesia. Há exceções hoje em dia, mas é coisa rara... Valeu por sua ótima participação neste 'desafio literário'.

Sobre livros: "- No sea pendejo - me dijo - ,llévese todos y cuando acabe de leerlos nos vamos a buscarlos donde sea. Para mí eran una fortuna inconcebible que no me atreví a arriesgar sin tener siquiera un tugurio miserable donde guardarlos." Gabriel García Márquez, Vivir para contarla, páginas 370-371.

"A paleta social não é disposta ao acaso. E quem subscrever o contrário, só o faz para esconder no acaso tudo o que não compreende, como o infinito ou a insanidade". Trecho de A Cidade dos Sete Mares, Victor Eustáquio, página 7.

"Pareceram-me naturais as suas maneiras. Quero dizer com isso que não notei nelas a menor afetação." Charles Dickens, Grandes Esperanças, Tradução de Alceu Masson, Abril Cultural 1984, página 195.

"quem parte de um lugar tão pequeno, mesmo que volte, nunca retorna". Um rio chamado tempo, uma casa chamada terra, Mia Couto, pág. 45.




(Este espaço está reservado para a sua contribuição. Leia, deguste o que leu e participe).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Caro(a) Leitor(a), comentários serão respondidos no local em que forem deixados. Adoto esta política para melhor gerenciar informações. Grata pela compreensão, muito grata por seu comentário. Um abraço fraterno, inté!