domingo, 6 de maio de 2012

E a palavra duvidosa... não é mais!


Tela: Incerteza, HFrenzel.


Quanto à postagem A palavra duvidosa é..., na qual me perguntava se o correto é "obcecado" ou "obsedado", no que se refere a "obsessão", eis aqui uma sequência de comentários trocados no blogue A Letra Mata, de Luis T. Ladeira, que me ajudaram a esclarecer um pouco mais esta questão:

Helena Frenzel disse...

Olá, esta postagem é antiga, mas minha dúvida é atual. Não vivo no Brasil, daí uma grande dificuldade em encontrar material confiável e de qualidade sobre questões da língua portuguesa brasileira. Encontrei num dicionário online a forma "obsedado", mas desconfiei. A versão mini do Houaiss que trouxe na bagagem apresenta "obsedar" e "obsedante" relativos a "obsessão". Existe no português formal atual a forma "obsedado" ao invés de "obcecado" referente a "obsessão"? Ou, "obcecado" é o correto mesmo? Se puder ajudar-me a encontrar uma resposta para esta questão, muito grata. P.S.: Publiquei uma postagem com esta dúvida sob o título "A palavra duvidosa é... "(crônica) no meu blog Bluemaedel.
04/05/12 15:20

Luis disse...

Olá, Helena.

É um prazer recebê-la aqui no blogue, apesar de eu não o atualizar há séculos. Quanto à sua dúvida: há duas palavras: "obcecar", derivada da mesma palavra latina que dá origem a "cegar", e "obsedar", derivada de outra palavra que tem a ver com a ideia de oposição, obstáculo e significa, segundo o Houaiss, importunar incessantemente, ou obsediar, assediar. De "obcecar" provêm "obcecado" e "obcecação"; de "obsedar" derivam "obsessão", "obsedante", "obsessivo" e "obsedado", entre outras palavras. Há vários casos de palavras semelhantes que, no entanto, têm pais diferentes no latim. Ao contrário, há palavras que, derivadas da mesma raiz latina, assumem grafias diferentes, como "empecilho" e "impedir" (que não vêm na verdade da mesmíssima palavra, mas de palavras muito próximas no latim) ou "pleno" e "cheio", que derivam da mesma palavra.
 É isso, espero ter ajudado. Uma sugestão para material de consulta confiável: há versão do Houaiss digital, será que você consegue comprar aí onde mora? Se não, há o Aurélio, que tem versão inclusive para iPads e iPhones.
Se nada disso funcionar, uma ferramenta online ótima: Portal da Língua PortuguesaAbraço!
04/05/12 23:31


Uma ótima crônica, também sobre isto, atribuída a João Ubaldo Ribeiro e que se encontra na internet é: Questões Gramaticais

O certo, para mim, então fica: na dúvida, encontro outra forma de dizer e, com ou sem obsessão, "obcecado": só com "c"!

Inté!




---------------------------------------------------------------------
Não sigo o novo acordo ortográfico em Língua Portuguesa. Se deseja reproduzir este texto, no todo ou em parte, favor respeitar a licença de uso e os direitos autorais. Muito obrigada.
Helena Frenzel
Também publicado no Recanto das Letras por Helena Frenzel em 06/05/2012
Código do texto: T3652246

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Favor informar o nome da autora. Para ter acesso a conteúdo atual aconselha-se, ao invés de reproduzir, usar um link para o texto original). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


2 comentários:

  1. Hehela, você escreve bem demais, e não deveria ficar obcecada com coisinhas assim... hehehehe... ou será obsecada?

    ResponderExcluir
  2. A maior vantagem da língua portuguesa é a fala, esta sim de uma flexibilidade incrível. Já as regras gramaticais e a semântica deixam-nos obcecados (no sentido da teimosia) para aprender tanta variação para pouca significação (muitas vezes).

    A última polêmica - que me levou até a escrever uam crõnica sobre o assunto - foi quando a Dilma resolver querer ser tratada como "presidenta". Chegaram a querer desqualificá-la por conta disso. Não encontrei em nenhuma gramática que pesquisei algo que autorizasse e tampouco algo que restringisse. Só consegui através de um site onde há uma entrevista com Evanildo Bechara (um dos mais famosos gramáticos do Brasil) publicada em um site , dizendo que as duas formas são aceitas.

    Abraço grande, Helena. Paz e bem.

    ResponderExcluir

Caro(a) Leitor(a), comentários serão respondidos no local em que forem deixados. Adoto esta política para melhor gerenciar informações. Grata pela compreensão, muito grata por seu comentário. Um abraço fraterno, inté!