sexta-feira, 10 de junho de 2011

Sobre escrever?! Pelamordedeus!! - Comentário Emocional


Sonhei: conversava com alguém que queria saber por que gosto de escrever e acordei com a resposta ainda fresca. Calma, leitor, vou poupá-lo da agonia; pelo menos neste texto, juro!, não discorrerei sobre escrita ou processo de escrever. Chega já tantos metatextos, não? E clamas pelo efeito, o produto final, que eu sei, um conto, livro, um romance, qualquer texto diferente desses que agora imperam no mundo online. Cada um que leia e escreva o que quiser, claro, mas, como leitora à moda antiga, sem pena gasto tempo com qualquer livro que saiba me prender, independente de volume, e isto fez comigo Memorial do Convento, de José Saramago, livro que acabei de ler.

Cegueira e vista: tema comum na Literatura e que na obra de Saramago não podia faltar, tema principal em Ensaio Sobre a Cegueira, que li há muito tempo, e um dos tantos em Memorial. Aliás, em Memorial, adorei os personagens com B, diferente de em Ensaio, onde os personagens não têm, propriamente, nomes ou alcunhas, só características. Entendi ambos como fábulas modernas que podem caber em qualquer lugar deste nosso mundo louco, embora em Memorial a história se passe, explicitamente, em Portugal.

A linguagem de Saramago não é para inexperientes, arrisco-me a dizer, e sei que corro perigo de me julgarem pedante, nada mais o preço por pensar e dizer, não? É fascinante perceber sua beleza, fluidez e, paradoxalmente, simplicidade, linguagem simples para quem aprendeu a ler fazendo estripulias com palavras da língua portuguesa, coisas que inexperientes talvez não sejam capazes de, facilmente, perceber.

Tanto Memorial como Ensaio li no original, mas confesso que fiquei curiosa para ver uma tradução, por certo um desafio. Vou fuçar numa biblioteca daqui. E Saramago eu sei que há, falo de seus livros. Já encontrei Machado e Rubem Fonseca. Paulo Coelho, esse não me interessa não, mas, por incrível que pareça, autor contemporâneo mais fácil de se encontrar por cá. Talvez eu escreva um comentário emocional sobre Memorial e Ensaio antes do meu recesso, mas, por enquanto, deixo apenas as primeiras sensações: ambos são 10!, recomendo ler. E após ler o primeiro, Memorial, fiquei me perguntando onde teria ido parar minha vontade, principalmente a de escrever, e, que forma ela teria: a mesma de nuvem, talvez. Não da vontade de escrever textos diversos, falo, porém daqueles chatos, sobre o processo de escrever. Já chega, não?


Lembrando: a quem discordar, respeito, seja pelo que for. Antes de polêmicas ou discussões, com este texto quis brincar e informar, pela vontade, e pelo prazer. Só!




---------------------------------------------------------------------
Não sigo o novo acordo ortográfico em Língua Portuguesa. Se deseja reproduzir este texto, no todo ou em parte, favor respeitar a licença de uso e os direitos autorais. Muito obrigada.


Helena Frenzel
Publicado no Recanto das Letras em 09/06/2011
Código do texto: T3023914




Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Favor informar o nome da autora. Para ter acesso a conteúdo atual aconselha-se, ao invés de reproduzir, usar um link para o texto original). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.

Um comentário:

  1. Concordo. Ambos são 10. em Memorial pude rever um pouco da história da da trajetória do ouro de Minas colonial. Estou agora com O ANO DA MORTE DE RICARDO REIS, na fila. Abraços, Helena. paz e bem.

    ResponderExcluir

Caro(a) Leitor(a), comentários serão respondidos no local em que forem deixados. Adoto esta política para melhor gerenciar informações. Grata pela compreensão, muito grata por seu comentário. Um abraço fraterno, inté!